quarta-feira, 29 de maio de 2013

Resíduos de podas viram composto orgânico

Nas cidades, a poda das árvores resulta em resíduos que provocam transtornos quando manejados de forma incorreta.
Por: Darci Bergmann
Principalmente nos meses de outono e inverno, as prefeituras e proprietários de imóveis podam árvores e os motivos são vários. Alguns exemplares conflitam com a rede elétrica, outros são retirados e substituídos e tudo isso gera transtorno no trânsito. Na ocorrência de vendavais, as coisas se complicam e o volume de galhos e folhas em via pública tem um alto custo de remoção. O grande volume de material e a falta de local adequado para depósito é sempre problemático.
Para facilitar o manejo desses resíduos, é preciso reduzir o volume. Para isso, já existem equipamentos adequados no mercado. Trituradores potentes reduzem enormes troncos e tocos em pequenos pedaços de madeira. As máquinas de grande porte ainda são caras e nem sempre as prefeituras e empresas podem adquiri-las. Mas já existem alternativas bem mais acessíveis e que processam ramos com até 10 cm de diâmetro. A redução de volume é notável e isto se traduz em custos menores de remoção do material.
Os resíduos triturados são excelente matéria prima para o composto orgânico. Amontoados em leiras e cobertos com filme plástico em poucas semanas se transformam num excelente composto orgânico. Para acelerar o processo de fermentação bacteriana, pode-se regar o material com uréia diluída em água. Depois, cobre-se novamente o material com o filme plástico. O composto resultante é isento de ervas competidoras.

Triturador de resíduos Trapp

Trapp, tradicional fabricante de equipamentos para jardinagem, lançou um triturador de resíduos que se encaixa no orçamento da maioria das prefeituras e de muitas empresas. É um triturador de porte médio, de fácil transporte e que tritura galhos de até 10 cm de diâmetro. A ampla rede de distribuidores facilita a reposição de peças do equipamento, caso necessário. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário